navegar pelo menu
21.6.18

Resistência, um livro de Affinity Konar sobre inocência e amor em tempos remotos


Aquela pequena ~grande~ vitória do mês, sério. Com certeza vai entrar pro gratitude desse mês. Não sei exatamente quando comecei a ler esse livro, mas foi assim que terminei O Muro, e eu já terminei, yhaay! Vou voltar a anotar a data de início das leituras para me orientar melhor.

Comprei esse livro sem saber grandes coisas. Gostei da capa e vi na sinopse que se tratava de um livro sobre irmãs gêmeas vivendo durante o nazismo. Eu nunca havia lido nada sobre guerra e campos de concentração, porque achava que não iria aguentar, mas, gente, amei demais.


Affinity Konar se inspirou na vida real das gêmeas Eva e Miriam Mozes para contar para gente a história de Pearl e Stasha, duas irmãs gêmeas judias, ou mischling (mestiças), que viviam na Polônia com uma vida normal até que a guerra estourou. O pai delas era médico e não é falado muito sobre a mãe, apenas que depois da guerra, depois que o pai delas desapareceu em uma saída para ajudar um menino doente, a mãe passou a cuidar delas junto com o zayde, o avô delas.

E então, em um caminhão de boi, onde havia vários outros gêmeos com seus guardiões, elas foram pegas e levadas para o "zoológico" com a promessa de que iam cuidar dos responsáveis e que não seria ruim para as crianças. Pronto, essa é a premissa do livro.


O zoológico é como é chamado um dos campos de concentração de Auschwitz. Lá tinham vários pavilhões, um para as mulheres, outro para meninos e outro para meninas. Nesse campo atuava o, chamado médico, Josef Mengele, também chamado até hoje de Anjo da Morte. Ele reunia pessoas com particularidades físicas e fazia torturas disfarçadas de experimentos. Entre essas pessoas haviam as albinas, os anões, os aleijados e os gêmeos. Os gêmeos, dizem, eram os mais preciosos, mesmo ainda sendo objetos para ele.

Na visão das meninas, passamos a acompanhar algumas de suas atrocidades. Não vi tanto horror nas palavras, mas sim inocência, porque acabam mostrando as cenas para gente de uma forma mais fantasiosa. Elas têm treze anos. Pearl é mais séria e mais envolvida com a vida aqui e agora, já Stasha é mais sonhadora e consegue se transportar apenas com a sua imaginação. A partir delas podemos ver a ligação que há entre as duas, mesmo com as diferenças, a interminável luta de continuarem juntas e a possível dor da separação.

Além de ser um livro sobre um dos maiores extermínios humanos do mundo, é um livro sobre como as crianças lidavam com isso, deixando claro que às vezes o não saber era o que fazia a esperança continuar existindo, eles continuarem persistindo. É um livro sobre família e amizade também, sobre a dor de mães que perderam seus filhos, sobre o amor de mãe sem precisar ter necessariamente parido para sentir. De fato, é encantador.


Recomendo demais, a escrita da Konar é muito gostosa de ler, as letras estão num ótimo tamanho, bom espaçamento e folhas amareladas, fazendo com que as 316 páginas corram bem rápido.

Se tiver interesse em ler e puder, pode comprar por aqui, assim você ajuda a gente com uma pequena porcentagem na hora da compra sem gastar nada a mais. Uma opção para quem quer comprar mais barato (quem não?), é comprar pelo Cupom Válido, lá você encontra os mais variados cupons das mais variadas lojas, inclusive livrarias, online. Confira os perfis da Amazon, da Saraiva e da Submarino, vai que você encontra um desconto do tamanho do seu bolso, né non?

E aí, você já leu ou ouviu falar sobre esse livro? Que tal colocar ele na sua lista de leitura?

2 comentários:

  1. Só a capa do livro já me chamou muito atenção e sua descrição dele, mais ainda. Essa narrativa mais infantil pode ser mesmo muito interessante e certamente deixa tudo mais sensível. Não pude deixar de lembrar "O Diário de Anne Frank". Entrou pra minha lista de próximas leituras!

    um beijo,
    acid-baby.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa dele não é linda? Também amaaayy
      Fico feliz por você ter gostado da minha descrição haha ><
      Acredita que nunca li O Diário de Anne Frank? Me sinto em dívida com o mundo dos livros aaaaa mas tenho meio que um medinho de ficar muito chocada, sabe? Geralmente mexe muito comigo essas coisas o.o
      Obrigada pela visita e pelo comentário <3

      Excluir

Oi, obrigada por vir e volte mais vezes ♥

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial