navegar pelo menu
22.2.18

Um manifesto para educar crianças feministas

um manifesto para educar crianças feministas

Comecei a ler esse livro, na verdade, ano retrasado e em pdf, mas não terminei. Finalmente, no final do ano passado eu pude terminar, logo depois de ler Sejamos Todos Feministas, o qual já apareceu por aqui e recomendo dar uma olhadinha.

Igualmente ao primeiro, esse é bem levinho de ler, rápido e fácil. Leve no sentido que a Chimamanda vai levando a gente, sabe? Mas não no assunto. Trazendo um pouco da vivência dela, ela deixa cada página com um toque de conversa. Principalmente porque esse livro surgiu da ideia de uma carta que ela recebeu de uma amiga que estava grávida e pedia conselhos de como educar uma criança feminista. Ela respondeu essa carta e deu uma editada para publicar. Se fez, então, o manifesto.

um manifesto para educar crianças feministas

Os capítulos na verdade são sugestões. Ela preferiu chamar dessa forma seus conselhos porque, como ela disse, ela não tinha filhos. Mas hoje ela tem uma filha liinda e, pelo jeito, tem colocado em prática. 

Algumas das sugestões para educar uma criança feminista:

  1. Seja uma pessoa completa 
  2. Façam juntos
  3. Ensine a ela que "papéis de gênero" são totalmente absurdos
  4. Cuidado com o perigo daquilo que chamo de Feminismo Leve
Com certeza um dos meus preferidos é o primeiro. Não sou mãe mas fico observando que quando uma mulher decide ser uma, ela se sente na obrigação de deixar tudo de lado "em nome do filho", acabando muitas vezes sempre sendo uma pessoa frustrada. Pode não ser agora que essa frustração vá se manifestar, mas com o cotidiano o peso do tempo passado pesa e muito.

Como Chimamanda é Nigeriana, ela trás muito consigo toda essa carga cultural e social do país de origem, o que é muito interessante. Eu particularmente adoro. Porque a gente acha que tá tudo indo muito bem e muito bom... mas e a nossa vizinha, como é que ela tá? E ela mostra o quanto que o mundo tem para melhorar. Sempre mostrando que, embora a religião tenha um grande papel no que diz respeito a preconceitos, as pessoas podem sim mudar as coisas, que sem as pessoas a religião nem mesmo existiria, então porque a religião só é "leve" com uma parcela da população?

um manifesto para educar crianças feministas

um manifesto para educar crianças feministas

Não é só um livro para mães e pais. Acho que todo mundo que se interessa (ou não) por esse assunto ou quem tá querendo aprender um pouquinho sobre devia dar uma chance. Depois dos primeiros parágrafos ninguém quer parar. A gente só quer que essa mulher maravilhosa derrame (ou bata) todo o conhecimento dela na nossa cara.

um manifesto para educar crianças feministas

um manifesto para educar crianças feministas

O livro é bem pequenininho mas a diagramação tá ótima e você lê numa sentada (sempre acho essa frase muito engraçada rs). Aproveita que ele é bem baratinho e pode comprar por aqui. Assim você ajuda essa pessoa que vos escreve c:

11 comentários:

  1. EU já vi muito esse livro por ali na internet, e imaginava ele como se fosse um guia sabe? mas você mostrou que vai muito além disso, adorei <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher, ele é guia, ele serve de ajuda, ele é informação, é ajuda, é TUDO. Todo mundo merece essa coisa linda na vida <3

      Excluir
  2. Tô apaixonada pelo teu cantinho, Bru! <3
    Eu já li Sejamos todos feministas e foi aí que conheci esse livro, mas ainda não li e ele já tá na listinha. Amo a forma de como ela joga tudo na nossa cara, né? A gente aprende tanto em cada parágrafo. Não tenho nem dúvidas de que esse livro é maravilhoso e a resenha ficou muito boa! =)

    Beijos, quebrarosilencio.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda! Sim, ela é maravilhosa. Pega logo esse livrinho pra ler, mulher, ele é pequeno, lê rapidinho e ainda vai passar um tempão refletindo haha
      Muito obrigada pelo carinho, moça, fico muito feliz <3

      Excluir
  3. Vou querer. Acabei de me tornar mãe :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso, não fica triste. Você vai criar uma PESSOA, vai trazer à VIDA um serzinho que só você vai conhecer tão bem, vai poder ensinar tudo que sabe, vai poder educar e colaborar por um mundo melhor. Você vai ser a pessoa mais IMPORTANTE dessa tua cria! A não ser que ainda dê tempo de voltar atrás... De qualquer forma vai dar tudo certo, Lua, e se precisar de alguma coisa (mesmo que seja apenas uma conversa) estou a seu dispor, viu? De verdade!

      Excluir
  4. Eu sempre ouvi falar muito do livro "sejamos todos feministas" e eu morro de vontade de ler, agora tenho dois na bagagem, além que acho muito valida toda leitura que englobe esse tema já que procuro tirar cada dia mais do machismo que a sociedade me implantou e acho que como você falou o livro não é só para mãe e pais e eu me interessei muito.

    Bruna, primeiramente que foto maravilhosa a do seu perfil! E em segundo, desculpe pela ausência de comentários aqui, minha vida se tornou um turbilhão de coisas no ultimo mês, porém continuei vindo aqui. Eu AMEI sua postagem sobre gatinhos e sua foto com os três é a coisa mais fofa!

    Li o seu post sobre sua transição para o veganismo, e digo que estou começando a sentir o mesmo que você quanto a parar com as carnes. Faz mais de um ano que meu cardápio só entra frango - carne as vezes quando é a unica coisa que tem e acabo me sentindo mal depois, meu organismo não funciona mais com carnes e afins -. Estou pensando em ir em uma nutri e conversar sobre pois tenho um problema em que eu fico anêmico muito fácil, então tenho que saber recompor os nutrientes. Eu me senti tão representado com aquele post, sério.

    Talvez eu tenha falado um bocado kkkk, mas enfim!! Beijos e até o próximo post.
    escrito-noar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moço, primeiro, você pode me escrever um livro que vou muitoo feliz haha Acho que quando você ler os dois, vai amar, sério. São super necessários e ela nos mostra algumas coisas que nem mesmo eu, sendo mulher, havia percebido, imagina você que nunca passou de fato por essas coisas? É muito válido e depois você vai querer ler tudo dessa mulher maravilhosa hahahah
      Ah muito obrigada aaaa Tá tudo bem, a vida é dessas coisas mesmo, às vezes ela exige todo o nosso tempo pra deixar do jeito que a gente quer e eu espero que a sua fique a seu modo.
      Homem, depois que eu parei de comer carne, eu comi um pedaço depois de carne vermelha e depois um de galinha, foi o ponto final, sabe? Foi ali que eu percebi que eu não preciso e, principalmente, NÃO QUERO comer carne. Depois que a gente desromantiza o consumo de carne, até o sabor muda. Mas se você tem esse problema mesmo de anemia, pelamor vai num nutricionista mesmooo. E se você tiver procurando algo além do frango, tenta grão de bico, hommus, arroz integral (tem muitoos nutrientes), feijão, muita salada (principalmente as de folha verde escura), tofu (bem temperadinho fica UMA DELÍCIA).
      Precisando, pode vir falar comigo sem pro, viu?

      Excluir
  5. Hoe, Bruna? Tudo bem? :)

    Conheci seu blog através do projeto de blogagem coletiva com a Grazi e, desde que vocês fizeram o anúncio, já tenho acompanhado alguns de seus posts - e adorado o que tenho lido. ♥

    Menina, só meu BuJo sabe o quanto estou ávida para ler um monte de coisa e aí vem a senhorita e joga mais um título lá no topo dessa pilha, haha! Na verdade, já li "Somos Todos Feministas", mas minha curiosidade não se estendeu ao livro curtinho de mesma diagramação ao lado... Depois do seu post, decidi ir atrás do prejuízo.

    A passagem que você destacou sobre a menstruação me lembrou uma série de tweets recentes sobre algumas atletas que participaram dessa última Olimpíada de Inverno e que chegaram a falar abertamente, em entrevistas, sobre a influência do período menstrual na sua performance. As respostas masculinas ao tweet foram "TMI" - "Too Much Information". Bom, certamente aquela entrevista não era do interesse deles, mas também não precisa colar a estrelinha da ignorância na testa, afinal isso também é TMI - no caso, pra gente, né.

    O que me deixou com cara de besta mesmo foi que, nessa sequência de tweets, uma senhora se dedicou a marcar as contas das atletas mencionadas, afirmando que elas deveriam "tomar vergonha na cara", que era lamentável o "fato" de que preferiam ser lembradas, não pela sua performance, mas pela sua "depravação". Socorro.

    Desculpe, quis falar tudo isso só pra enfatizar o quanto essas sugestões propostas pela Chimamanda se fazem relevantes demaaaais atualmente.

    Obrigada por ter feito essa indicação! ♥
    Beijos, flor~

    ResponderExcluir
  6. Poder ler uma postagem dessa com conteúdo incrível me deixar confortável. Nunca li esse livro,e também não tive a oportunidade de conhece - lo em outro canto. Eu sou totalmente contra o machismo,é repugnante ver homens maltratando mulheres ou se sentindo superior de alguma forma... Como você mesma disse,esse livro não serve apenas para pais e mães mas sim paara nós que nos interessamos pelo assunto ♡ A pouco tempo fiz um seminário com esse tema, e achei mega interessante por mais que tem algumas coisas que eu não concorde,não cabe a mim julgar e sim respeitar!

    uma figueira

    ResponderExcluir
  7. Que MASSA!! Compartilhei no face e pra minha irmã que tem uma filha de 3 anos. Muito bom o post! Acho que vou comprar a edição digital :D

    Bjos!

    ResponderExcluir

Oi, obrigada por vir e volte mais vezes ♥

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial