navegar pelo menu

Melhores playlists para começar o dia bem

Já faz algum tempo que tenho escutado e percebido quais músicas mexem comigo de uma forma positiva, por qualquer motivo que seja. Seja...

4.5.18


Estou na terceira semana da terapia.

Infelizmente esperei ficar na pior situação possível para buscar ajuda profissional. Achava que era bobagem, que a médica ia escutar o que eu tinha para falar e depois me mandar para casa porque era tudo uma grande bobagem, que eu podia muito bem resolver tudo aquilo sozinha e que eu só não tinha resolvido porque não quis.

Quando eu chegava à conclusão de que, sim, eu precisava de ajuda, alguém chegava e me dizia o que eu tinha medo de ouvir porque eu já repetia para mim sempre: você tem tentado mesmo de verdade? 

As pessoas podem ser bem cruéis mesmo sem perceber, não é? Daí quando tentamos argumentar, reformulam a frase mas tendo o mesmo sentido. A pergunta não é sobre como nos sentimos, não é sobre as dificuldades que estamos enfrentando, não é uma dica sobre procurar um profissional, até porque ninguém tem que ter os melhores conselhos mas um profissional pode saber o que fazer com tudo isso. Não. A pergunta é sobre o que não conseguimos fazer, mesmo tendo sido explicado tantas vezes.

Porque, fala sério, quem não gosta de cumprir suas metas? De ler um bom livro como estava acostumada anos antes, quando lia quatro por mês por prazer? De realizar coisas novas, fazer uma boa limpeza no chão só pelo simples motivo de se deitar nele? 

Não conseguir realizar o que nos dá prazer é o alarme gritante de que a ajuda é necessária. Não dei ouvido a esse alarme. Esperei passar por várias crises até chegar na última em que fiquei sem ar e quase ia caindo no chão do banheiro. Assim fiquei três dias: tonta, sem ar, sem vontade de comer, sem vontade de mexer no celular, de falar, nada. 

Marquei a consulta no meio desses dias e fui com muito medo, mas o medo de qual seria o próximo estágio daquilo tudo era bem maior. Eu nem sabia o que era aquilo tudo.

O diagnóstico foi certeiro: ansiedade. Só de saber contra o que eu estava lutando já me deixou mais leve. Aprendi algumas técnicas de respiração e comando mental para se acontecesse da crise vir à tona e desde então nunca mais passei três dias de inferno como aqueles. Agora sei o que acontece comigo e o que preciso fazer caso eu sinta me dominando, então se vier já saio dessa mais rápido.

Não tomo remédios. Sei que tem algumas pessoas que necessitam dessa medicação mas no meu caso, não precisou. A procura por uma psicanalista talvez tenha ajudado nessa decisão, visto que se eu tivesse ido para uma psiquiatra teria mais chances de ser receitada a tomar alguma coisa. Essa questão é muito subjetiva, acredito.

Já sinto muitas mudanças mas vou esperar completar pelo menos um mês para falar sobre elas. Ainda estou sentindo elas e feliz pela conquista de cada uma delas. 

Saber que não estamos e nem precisamos resolver nossas questões sozinhos é um divisor de águas. Aceitar precisar de ajuda não é uma fraqueza. É preciso ser forte para admitir e dar a volta por cima, principalmente com tantas adversidades ao nosso redor dizendo que isso não é verdade. Ir na onda dessas pessoas só nos faz ter os mesmos problemas psicológicos que elas tem e que elas não solucionam por acreditarem serem robôs.

Somos feitos de pele, carne, ossos e coração. Sangue corre dentro de nós. Não podemos mais nos tratar tão mal por causa de um egoísmo com nós mesmos que foi formatado socialmente. Essa amarra custa caro e atrapalha a realização de nossos sonhos.

Conselho de amiga: faça terapia.
14.4.18


O ano começou há muito tempo. Daqui a pouco faz quatro meses que esse ano começou. E eu aqui. Você também tá aqui? Porque ninguém fala disso?

Um ano se vai, outro ano inicia, fazemos metas, altas expectativas e o que devia ser esperado acontece, quebro a cara, né? Quase nenhuma meta ao menos iniciada e o psicológico fica como? Não fica!

Todos os dias uma nova cobrança juntando com as cobranças dos dias anteriores. São 104 dias de novas expectativas, todas juntinhas no dia de hoje para se juntar a mais outras expectativas para uma festa. Não fui convidada para essa festa mas tenho que fica esperando por todas elas em pé na porta da frente. Rindo sem graça, ombros cansados, não posso sair do lugar, sequer consigo sair do lugar.

A única coisa que posso fazer é esperar e me culpar. O não-fazer é poderoso e insistente, segura meu tronco meu peito, puxa para baixo, só posso esperar.

Mesmo com a insistência dele, sigo tentando manter ao menos uma meta cumprida, pelo menos a desse mês, pelo menos a desse cantinho, só essa por favor. O não-fazer não pode ser tão poderoso assim, preciso ser mais forte. Mesmo cansativo preciso tentar.

O mundo aqui dentro e nada lá fora. Como faço para trazer tudo isso para o palpável? Porque tão difícil? 

Preciso pelo menos ficar em pé, preciso continuar em pé, esperando, tentando, sem sucumbir. Pelo menos esperar...
13.4.18


É dia do beijo, minha gente!
Depois de cuidar do seu gatinho nessa sexta-feira treze, vamos falar desse dia do beijo? Eu ia falar sobre os beijos mais esperados em seriados, mas percebi que me empolgo e espero ainda mais pelos beijos em desenhos (sim, sou dessas!). Separei alguns. Alguns porque assisto muitos desenhos e os amo. Sério, gente, todo mundo merece um pouco de desenho, seja anime ou a tradicional animação nossa do ocidente.
Swod Art Online


Hércules


A Pequena Sereia


Tarzan

Star vs. as Forças do Mal
Esse foi o único que não achei o gif :c
Esse post foi só para esse dia não passar em branco haha qual o beijo em desenhos que você mais esperava ou mais mexeu com você. Me contaa! E me dá dicas de desenhos <3
12.4.18

gato seta-feira treze

Amanhã é sexta-feira treze e se não fosse pela maldade de alguns seres humanos eu falaria sobre filmes de terror hoje. Mas como as coisas são diferentes, vamos falar sobre a maldade presente em alguns humanos e o que ela faz com gatinhos inocentes.

Existe um mito aí que foi criado em cima de gatos pretos. Talvez o cinema tenha tido sua participação nisso? Talvez! Mas agora não tem mais muito o que fazer com relação à culpa desse veículo, mas tem com relação à proteção desses animais que nada têm culpa no cartório.

gato seta-feira treze

Se você tem gato totalmente preto ou branco, principalmente preto, tente mantê-lo em casa e se você estiver doando gatinhos, espere mais um dia, se alguém perguntar sobre a cor dos gatos, diga que tem uma manchinha, invente! A vida do bichano pode estar correndo perigo e a gente nem sabe, um dia a mais não vai matar ninguém, não é mesmo?

Se você não tem gato nem preto e nem branco, tente manter os que você tem em casa. Às vezes as pessoas colocam veneno nos telhados por ficarem com raiva de algum bicho que afastou as telhas e aí o gatinho pode acabar sendo o alvo desse veneno.

Se você não tem nenhum gato, cuide dos que tem na rua, responsabilize-se por essas vidas que correm o risco de pagar por algo que não fizeram. Faça a sua parte.

E mais uma coisa: converse com seus amigos, familiares e conhecidos. É muito difícil acabar com um mito social assim do nada, mas o diálogo pode ajudar muito nesse combate à crueldade. Com o tempo as gerações podem ir esquecendo e ficando apenas na lembrança essa violência tão sem sentido (qual não, né?). Você também pode denunciar os maus tratos aos animais, é só vir nesse link para saber como proceder.

E aí, tem gatinho? Rola esse tipo de coisa onde você mora? Quais são os cuidados que você toma?
11.4.18


Não sei se vocês perceberam que estamos tendo BEDA esse ano por aqui e como já estamos quase na metade do mês, que tal indicar alguns broguinhos que também entraram nesse desafio que, sinceramente, eu tô adorando. Eu não sabia que era tão bom, mas ao final do desafio é que vamos falar sobre ele por completo haha

Vou indicar aqui alguns broguinhos que acompanho, mesmo não estando em tempos de BEDA, principalmente quando não estamos em tempo de BEDA, porque é tanta coisa para fazer que omg. Espero que visitem esses cantinhos cheios de amor e que gostem tanto quanto eu.


O Desancorando é um dos blogs mais amorzinhos que existem. Lá a Maki fala sobre cotidiano, escrita, bullet journal (alô, viciados do bujo) e muito mais. Ela também tá participando de um desafio no instagram dela chamado #30daysofbujo onde ela fala sobre o bullet, dá dicas, mostra as páginas do que faz parte da vida dela... É muito amor!


Conheci o blog da Julie em um desses grupos maravilhosos do facebook onde a gente fala de uma das coisas que a gente mais ama: blogar. O blog da Julie é liindo e tá por essa blogosfera já faz um tempinho (2010 *0*). Lá ela fala sobre comidinhas, tem textinhos pessoais, inspiração, cinema e maiss. Só indo lá para conferir, né não?


Já conhecia o Sentimentaligrafia faz um tempo e adorei voltar para esse cantinho nesse BEDA. A Marcela é a dona desse broguinho que, com esse cabeçalho lindo de gatinho com rabo arco-íris, tem um pouco de mangá, de cinema, de universo geek, animações, jogos, livros e tantas outras coisas que só indo lá ver para saber de tudo. Vamo!


Se você não conhece o blog da Loma, não sei por quanto tempo você dormiu nessa internet. A Loma fala sobre tudo, mas principalmente sobre blogosfera, inclusive ela tem muitas dicas que só indo lá para ver, ela ensina até a criar um blog do zero e ainda tem um curso de mídia kit. Super necessário! Fiquei muito feliz ao saber que ela iria participar do BEDA, porque até então era um desafio para meros mortais como euzinha haha

Então é isso, infelizmente nem todos os blogs que acompanho puderam participar, a vida é sempre cheia de afazeres, né? Espero que quem não participou esse mês, possa participar em Agosto... E vamo que vamo nesse tecla tecla louco que, pelo menos para mim, tenho feito de tudo para que vá com sentimento.

Um beijo e deixa aí um blog que tá participando desse BEDA para eu conhecer, pode ser o seu!

*Crédito à imagem - Guillaume Kurkdjian